06 Abril 2018 Escrito por 

Pós-Graduação é tema abordado na manhã deste segundo dia do Copedem

Ressaltando a necessidade de se estabelecer uma base de ensino, para o aperfeiçoamento da jurisdição, abrangente a todo o País, o diretor da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT) e presidente do Colégio Permanente de Diretores de Escolas Estaduais da Magistratura (COPEDEM), desembargador Marco Villas Boas, abriu o segundo dia do Encontro, nesta sexta-feira (6), no auditório da Escola.

O Encontro, que teve início na quinta-feira (5), tem como tema a "ESPECIALIZAÇÃO PROFISSIONAL “SEM DISTÂNCIA” – EM BUSCA DO APERFEIÇOAMENTO DA JURISDIÇÃO E DA EFETIVAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS".

Em sua fala, o desembargador Villas Boas destacou o pioneirismo da Escola com a criação do Mestrado em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos realizado pela Esmat em parceria com a Universidade Federal do Tocantins, há seis anos, e ressaltou os avanços para a criação de um Doutorado na mesma área.

O Encontro também contou com a palestra “Pós-Graduação Lato e Stricto Sensu nas Escolas de Governo”, ministrada pelo professor doutor Luiz Roberto Liza Curi, diretor geral de Políticas de Educação Superior do Ministério da Educação.  

O diretor da Escola Superior da Magistratura do Estado do Maranhão, desembargador Paulo Velten, declarou que o encontro do Copedem é um mecanismo para se estabelecer uma efetiva cooperação entre as escolas. “Essa experiência é importante para que nós possamos oferecer mestrados institucionais para todos os juízes brasileiros, que hoje vivenciam muitos desafios, são questões complexas que exigem atualização constante do magistrado”, explicou.

 

A Programação segue até o fim do dia, encerrando com a leitura, pelo desembargador Marco Villas Boas, da Carta de Palmas. 

Galeria de fotos

 

 



Redes Sociais